por em Geral.

Sempre que se pretende fechar um negócio de um carro usado para venda, colocamos várias questões a amigos e familiares que já tenham efectuado uma compra similar, e muitas vezes não ficamos convencidos. Por este motivo, e para ajudar os nossos utilizadores, tentámos reunir as perguntas mais frequentes no decorrer do processo, e apresentamos aqui as soluções que nos parecem mais acertadas.

  1. Em que momento do processo de compra e venda se efectua o pagamento do carro?

O lógico seria que o vendedor entregasse o veículo e o comprador o dinheiro no momento em que se assina o contrato de compra e venda. De facto, a partir deste momento todos os restantes trámites podem ser feitos por separado, no entanto é mais rápido e fácil quando feitos conjuntamente.

  1. É necessário que as assinaturas que figuram no contracto de compra e venda sejam reconhecidas pelo notário?

Com respeito ao contrato, não é obrigatório ter as assinaturas reconhecidas. Com que ambos assinem é suficiente, o essencial é que vejam fisicamente a outra parte a assinar, e se tiverem uma testemunha, então não haverá problema de todo. Por outro lado, nunca é demais reconhecer as assinaturas num notário, é apenas mais uma burocracia a tratar. Tudo dependerá da confiança que se tem com o comprador.

  1. Não é um pouco arriscado entregar o Documento Único Automóvel/Certificado de Matrícula do carro ao comprador?

A verdade é que sim, por isso se tem confiança com a pessoa, não tem problema. Mas se for um desconhecido, não deverá entregá-lo de imediato, isto porque:

Ainda que o vendedor tenha um contrato assinado com o comprador, o carro ainda está registado no nome do proprietário junto do IMTT. Portanto, na eventualidade de haver algum azar, o comprador vai ter problemas. Por exemplo: multas, um golpe que supere a garantia do seguro do carro, etc.

Estas situações não ficam prevenidas, obrigando o comprador a ter o veículo assegurado no seu nome, no dia em que se assina o contrato. Isto porque as companhias de seguros não vão assegurar ao comprador um veículo que nem sequer está no seu nome. O responsável pelo veículo ainda é o vendedor, até que se notifique a transmissão de proprietário no IMTT, o carro continuará no seu nome.

Solução:

A solução para o problema não é difícil. Recomendamos que o vendedor fique com os documentos (seja o antigo livrete ou Documento Único Automóvel/Certificado de Matrícula) do veículo e que no mesmo dia em que assinem o contrato de compra e venda vão ao IMTT e  notifiquem a transmissão de propriedade. Para tal, deverão entregar os documentos da viatura. (Lembre-se de que poderá perder toda a manhã, pelo que o melhor é combinar a ida bem cedo.) Logo depois, de notificar a transmissão no IMTT, o vendedor deverá telefonar para a sua seguradora a dar conhecimento da acção e se necessário anular o seguro. A partir deste momento não terá mais preocupações como o que o comprador fará com o seu veículo.

  1. Quanto tempo é necessário para tramitar os papéis?

Supondo que tanto o comprador como o vendedor querem livrar-se de toda a papelada o mais rápido possível, recomendamos que se faça tudo no mesmo dia e em conjunto.

Comprador e vendedor encontram-se pela manhã à porta do IMTT, se possível bem cedo.

Passo 1.1 Assinam o contrato

Passo 1.2 Vendedor dá a chave do veículo ao comprador.

Passo 1.3 Comprador paga ao vendedor.

Passo 1.4 Comprador e vendedor  tratam juntos da papelada, no IMTT.

Passo 1.5 Uma vez tramitada a papelada, comprador e vendedor dão um aperto de mão e cada um segue o seu caminho.

Deste modo, ambos intervenientes consomem apenas uma manhã e o comprador vê o carro em todo o momento, já que ambos estão no IMTT a realizar os trâmites, tornando todo o processo mais fácil.

Entretanto se ainda não encontrou o carro que procura, entre no CustoJusto.pt e veja as oportunidades em carros usados baratos perto de si

Faça um bom negócio!

8 Respostas em “Venda de carros usados entre desconhecidos”

  1. Joaquim Sousa

    Muito bom dia,

    Desde já agradeço os esclarecimentos que colocou nesta página à disposição que considero de extrema importância para ambas as partes.

    No entanto se for possível queria pedir-lhe informações sobre o meu caso pessoal. Tenho um clássico que pretendo vender e não circula à 15 anos não foi inspeccionado à 15 anos,e necessita de uma revisão total.

    É necessário um contrato de compra e venda específico para o efeito? Onde posso adquiri-lo?
    O veículo não tem seguro à 15 anos, logo terá de ser transportado em pronto socorro. Nesta situação durante o transporte e após, no caso de surgir algum acidente quem assume a responsabilidade.

    Quanto ao processo para a tramitação dos papeis no IMTT são os mesmos?

    Estou um pouco preocupado com esta situação e desde já agradeço os seus esclarecimentos.

    com os melhores cumprimentos

    Joaquim Sousa

  2. antero

    este é um sait,muito bem estruturado que faz muita falta há comunidade para a venda de coisas antigas .que doutra maneira não era possivel fazelo .antero

  3. Pinto

    Muito boas informações. No entanto ainda me sobra uma dúvida. Como e onde posso confirmar se o carro que pretendo comprar não foi roubado e está a ser vendido por outra pessoa que não o dono?
    Obrigado

  4. cesar castim

    gOSTEI DO FORUM ……E POR ISSO ESTOU A PROCURAR AJUDA ……TENHO ALGUEM DE FAMILIA QUE VAI COMPRAR UM CARRO AMANHÃ …..OU MELHOR VAI DAR UM SINAL DE COMPRA DA DITA VIATURA …….HÁ PRIMEIRA IMPRESSÃO PODEMOS CONFIAR NO VENDEDOR QUE É UM PARTICULAR …..MAS CONFIAR ATÉ UE PONTO !!! ….NÃO SERÁ CASO DE FAZER UMA MINUTA DE QUE VAI ENTREGAR DETERMINADO VALOR A ESSA PESSOA PARA SINAL DE DETERMINADO VALOR DE COMPRA ?????……EU PENSO QUE SIM …..MAS UMA TESTEMUNHA CHEGARA ????

    • Pedro

      Olá César,

      A entrega do valor de sinal deve implicar a emissão de um recibo ou outro documento que comprove esse pagamento. De qualquer das formas recomendamos que consulte um advogado para melhor ajudar nesta sua questão.

      Obrigado,
      CustoJusto.pt

Comentar

  • (Não será divulgado)