por em Geral, Zaask.

A cozinha é uma das divisões mais utilizadas de qualquer casa – seja para preparar as melhores refeições do dia ou para partilhar momentos e histórias com as pessoas que mais gostamos. Quando chega a altura de remodelar a cozinha é normal que se queira ter uma ideia dos custos e das tendências.

 

A Zaask – marketplace online de serviços locais – avança com uma nova projecção dos orçamentos médios para 2018 no que toca a serviços remodelação de cozinhas. Baseando-se nos dados recolhidos na plataforma, foi feita uma previsão dos projectos mais comuns que os portugueses vão realizar nas suas cozinhas, bem como os orçamentos médios que estão a ser praticados pelos profissionais dessas áreas.

Os portugueses renovam mais a casa de banho

Em relação à remodelação de divisões da casa (cozinha, casa de banho, sala e quarto), 41% da amostra escolheu renovar a cozinha através da plataforma. A divisão predilecta é a casa de banho, com 51% dos pedidos. Em termos de orçamentos médios, o custo dado pelos profissionais para remodelar completamente a cozinha ronda os 3700€.

Relativamente a remodelações mais específicas, foram comparados orçamentos de pavimentos, montagem de cozinhas, pintura e instalação de um novo exaustor.

Instalação de pavimentos flutuantes é tendência para 2018

No que toca às preferências de tipos de pavimentos, os portugueses têm uma posição bem marcada: 96% da procura está relacionada com instalação de pavimentos flutuantes. Por sua vez, a segunda escolha mais comum é a instalação de pavimentos vinílico, com cerca de 4% da procura. Relativamente a custos, a instalação de pavimentos flutuantes ronda os 6€ por m2. Isto faz com que o custo para instalar pavimento flutuante numa cozinha com 15m2 seja de 90€.

Ler mais…

por em Geral.

Remodelação e pintura estão entre as tendências mais procuradas em Portugal no que toca a serviços para casa, cujas médias praticadas pelos profissionais rondam os 1.280€ e 140€, respectivamente.

marketplace online de serviços locais Zaask, a partir de dados recolhidos na sua plataforma ao longo do ano de 2017 relativos à procura por serviços de remodelação, pintura e decoração, fez uma projecção de quais serão os projectos mais comuns que os portugueses vão contratar em 2018, assim como os orçamentos médios que estão a ser praticados pelos profissionais dessas áreas.

Enquanto pintura e remodelação são as áreas mais requisitadas, muitos são os portugueses que também vão investir em serviços mais práticos, como colocação de pavimentos e papel de parede.

Na categoria de remodelações, 45% da amostra fez uma remodelação total à sua casa, tendo o orçamento médio praticado pelos profissionais desta área rondado os 5.257€. Ainda dentro das remodelações, a casa de banho costuma ser a segunda divisão mais remodelada pelos portugueses, representando 33% dos trabalhos feitos na área e com um orçamento médio de 637€, e 10% são remodelações de cozinha, que custam em média 845€ aos portugueses.

No que toca à pintura, dos milhares de clientes que procuram este serviço, 28% pinta a sala de estar, pagando uma média de 200€, 24% pinta o quarto, que custa 180€, e 16% a cozinha, cujo orçamento médio são 116€. Por outro lado, a colocação de papel numa parede, que custa em média 34€, corresponde a 47% da procura, enquanto duas paredes custam 41€, representando 22%.

Ler mais…

por em Geral.

FIAT (acrónimo para Fabbrica Italiana Automobili Torino) é um dos maiores fabricantes de automóveis do mundo, com sede em Turim, Itália. A marca foi criada a 11 de Julho de 1899, por Giovanni Agnelli.

São mais de 100 anos a construir automóveis: desde o 500 ao novo 124 Spider, passando pelo Uno e pelo Punto.

 

Modelos:

 

 

por em Marcas de carros.

Citroen é uma fabricante francesa, criada por André Citroen em 1919.  O símbolo da Citroen é o “double chevron”. Os dois ‘V’s invertidos, conhecidos na França como “Deux Chevron” ou “Duplo Chevron”, simbolizam a engrenagem bihelicoidal.

Em 1934, a marca surpreendeu o mundo automóvel com a inovação “traction avant”. Este foi o primeiro carro com tracção à frente. A marca manteve reputação de apresentar ideias inovadoras, e em 1954 produz um carro com suspensão hidropneumática auto-nivelante. Em 1948 dá-se o início de comercialização do “2CV”. Em 1955 foi a vez do lançamento do DS, com travões de disco.

A década de 60 fica marcada por uma reestruturação da empresa (1968). A Michelin, que tinha a maioria das ações da Citroën, vende 49% à Fiat (Acordo de PARDEVI). Ainda no mesmo ano, a Citroën compra a Maserati.

Devido à crise energética de 1973, a Fiat voltar atrás com o acordo anteriormente celebrado e a Michelin regressa à Citroen. Em 1974, a Peugeot compra 38,2% da Citroën, vende a Maserati e, em 1976, adquire mais uma parcela da Citroën ficando com um total de 90% da empresa, criando a PSA Peugeot Citroën.

O muito popular 2CV é descontinuado no início da década de 90 e a marca adopta a sigla C para os novos modelos.

A Citroen também tem presença activa no desporto motorizado, sendo a única marca a ter vencido três diferentes campeonatos oficiais: World Rally Raid Championship (5 vezes), World Rally Championship (8 vezes) e World Touring Car Championship.

Modelos: