A Mercedes e a Fórmula 1: conheça a história da marca no desporto automóvel

A Mercedes tem construído na Fórmula 1 um legado notável de conquistas que continua a apaixonar e a fazer vibrar os aficionados dos motores. Neste artigo, vamos conhecer esta relação quase umbilical, descobrindo a história e recordar as conquistas da famosa construtora germânica na mais prestigiada competição automóvel do mundo.

Estreia triunfal


A Mercedes competiu pela primeira vez na F1 em 1954, apresentando ao volante do lendário W196 os pilotos Juan Manuel Fangio e Karl Kling. Na temporada de estreia, o argentino e o alemão conquistaram o primeiro e o segundo lugares respetivamente; na seguinte repetiram o feito, escrevendo a ouro as primeiras páginas de uma história vitoriosa, mas que também conta alguns momentos negros. Como a tragédia que teve lugar, em 1955, nas 24 Horas Le Mans, em que um impressionante acidente vitimou mais de 80 pessoas, incluindo o piloto da construtora alemã, Pierre Levegh, o que levou a Mercedes a afastar-se das competições durante mais de meia década.

Um regresso tímido


Foi em 2010 que a equipa conhecida como as “flechas de prata” voltou às corridas, depois de a Mercedes adquirir a Brawn GP, que naquele ano tinha alcançado o título, tanto de pilotos como de construtores. É rebatizada de Mercedes GP Petronas Formula One Team, e é representada por Nico Rosberg e Michael Schumacher. O regresso, porém, não correu como esperado, tendo a dupla alcançado apenas uma vitória, em 2012, no Grande Prémio da China.
Nos anos seguintes, a construtora bávara reforçou a aposta e o investimento na inovação e na tecnologia de modo a voltar aos tempos áureos. Em 2014, a introdução dos motores híbridos inaugura uma nova era na F1 e, com ela, a Mercedes vira a página para iniciar um domínio absoluto na categoria. Além das conquistas em pista, desempenhou um papel relevante no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis na F1, liderando o caminho dos motores híbridos de alta eficiência energética.

Domínio e conquistas atuais

Logo na primeira época com os novos motores, a formação germânica venceu 16 das 19 corridas, conquistando o campeonato de construtores e o de pilotos, com o britânico Lewis Hamilton. Na seguinte, repetiu o feito e, em 2016, demonstrou a sua supremacia ao colocar os seus dois pilotos, Hamilton e Rosberg, a lutar pelo título, que acabou por cair nas mãos do alemão. O final de carreira do companheiro de equipa abriu espaço para Hamilton brilhar, pulverizar recordes e tornar-se o piloto com mais vitórias e títulos na competição. Desde o regresso às pistas, a Mercedes assumiu-se como uma força dominante na F1. Contam-se, até agora, sete campeonatos de construtores seguidos, conseguindo que Hamilton igualasse a marca histórica de sete títulos de Schumacher. É uma história repleta de emoção e acima de tudo, sucesso. Continua a acelerar nas pistas, estabelecendo novos padrões de excelência, cativando fãs e inspirando gerações futuras de pilotos.

Estatísticas da Mercedes na F1
Campeonatos de Construtores: 8
Campeonatos de de Pilotos: 9
Vitórias de Corrida: 125
Pódios: 287
Pole Positions: 137
Voltas Rápidas: 104
Total de Pontos: 7.157

Mais artigos do seu interesse

Eis o que deve comprar em segunda mão

5 Dicas para negociar o melhor contrato de arrendamento

Quais os melhores carros familiares à venda no Custo Justo?

6 dicas para escolher o carro usado ideal no Custo Justo